domingo, 1 de abril de 2012

Rubens Conedera

Olá pessoal! Hoje trago mais uma entrevista maravilhosa, dessa vez com Rubens Conedera autor de Carmela e Lorenzo.
Estou apaixonada por Carmela e Lorenzo desde que vi a sinopse do livro, meu amor e vontade de ler só aumentou após ver o book trailer.Movida por essa paixão e por amar e achar muito legal saber mais sobre os autores e suas obras, convidei o Rubens a dar a entrevista e fiquei muito feliz por ele ter aceitado.
Amei a entrevista. O Rubens é muito legal e tem valores que admiro muito.
Espero que vocês gostem da entrevista tanto quanto eu .

Primeiro eu pedi pro Rubens se apresentar.
"Meu nome completo é Rubens Maciel Conedera, tenho 33 anos e nasci na cidade de Pelotas, em 14 de junho de 1978. Moro em Pelotas desde que nasci, sou casado e minha esposa e eu temos duas meninas, sendo que temos mais “filhos de coração”, com os quais mantemos uma relação incrível. Sou eletrotécnico e trabalhei em uma multinacional por treze anos, de onde saí mês passado, pensando em encontrar outra atividade que me desse mais tempo para escrita. Até o semestre passado, estudei na UFPEL, no curso de Licenciatura Plena em História."


De onde veio à inspiração para Carmela e Lorenzo?
"A inspiração sinceramente veio do amor, tenho uma família maravilhosa, e um pequeno grupo de amigos que me trazem experiências incríveis. Escrevi Carmela e Lorenzo pensando nestas pessoas, pois o amor que sentimos uns pelos outros me fez viajar por este estória. Sou casado a catorze anos, que passaram muito rápido, como se eu e minha esposa ainda tivéssemos muito a fazer um pelo outro. Minha família é numerosa, tenho três irmãos, e o amor de meus pais por nós também me inspirou em algumas partes do livro que expressam amor familiar. " 

 Alguns autores criam uma trilha sonora para suas obras e confesso que eu faço isso enquanto leio um livro. Você criou uma para Carmela e Lorenzo?
Sempre que escrevo, penso nas passagens do livro cenas como um filme realmente, tentando descrever a situação de forma a enxergarmos o que realmente está acontecendo. "Tenho varias musicas em minha cabeça para Carmela e Lorenzo, pois o livro nos trás situações de romance e ação que se intercalam. Para cada uma destas situações, tenho com certeza algumas musicas. Gosto das “Quatro estações”, de Vivaldi, para descrever as paisagens da estória. Uma passagem interessante do livro, que se chama “Minueto”, imagino acompanhada por violinos. Os trechos de perseguição me trazem aos ouvidos sons de tambores pesados, ou até algum rock pesado. Carmela e Lorenzo me dão um grande leque de opções quanto a musica."

Há um personagem predileto? 
"Não posso negar que escrevo o livro pensando primeiramente em Carmela, mas algo aconteceu e me surpreendeu quando algumas pessoas leram. Lorenzo roubou a cena, como descreveu Adriana Vargas, coordenadora do Clube dos Novos Autores, na primeira resenha feita para Carmela e Lorenzo. Depois de entrar para o Clube dos Novos Autores, convidado por Adriana, tudo aconteceu muito rápido, e a resenha que ela fez de minha obra abriu portas para que fosse publicado pela Editora Tradicional MODO. " 

Amei o book trailer e gostaria de saber se você ajudou na escolha da musica.
"Também gostei do book trailer, mas não influenciei em nenhuma parte de sua produção. Acredito que foi a própria Adriana Vargas e a equipe da MODO que escolheram a musica e pensaram no book trailer. Este é um detalhe muito bacana desta editora, nossas obras realmente são lidas, por isto o book trailer ficou tão bacana!"

Teve alguma dificuldade ao escrever o livro?
"Sim, encontrei dificuldades inicialmente quanto a pesquisa, pois o contexto que escolhi como pano de fundo para o romance exigiu-me leitura, estudo, e como trabalhava e cursava universidade o tempo era curto, além de todo o dia a dia familiar. Nos pequenos intervalos de tempo que eu tinha entre uma aula e outra na universidade, eu fugia para a biblioteca, onde encontrei obras que me ampararam quanto a Arte, tão importante para o livro." 

Você sempre quis ser autor
"Desde criança eu criava estórias, comecei com HQ’s, pois também desenho. Sempre li muito, incentivado por meus pais, e mesmo tendo escolhido a área técnica para seguir, a leitura sempre me acompanhou. Quando estudava eletrotécnica, associei-me a biblioteca de uma instituição ligada às indústrias da cidade. Apenas em 2009 a inspiração para escrever meu primeiro romance chamado “Conspiração” surgiu, e depois não parei mais, descobrindo-me como autor. Escrevi em 2010 “O indulto”, um livro dinâmico, de ação envolvendo ocultismo. “Carmela e Lorenzo” é meu terceiro livro." 

Amo a Itália Renascentista (embora alguns costumes da época me enfureçam) e gostaria de saber o que te levou a escolher esse cenário
"Sempre gostei muito de História e Arte. Minha esposa é formada na UFPEL em Arte Visuais, e eu a acompanhava em suas pesquisas, auxiliando e digitando trechos de obras sobre Arte. Muitas passagens me surpreendiam, e ficaram gravadas em minha mente. A paixão pelo Renascimento tinha a ver mais com a ciência do que com a arte. Da Vinci é meu grande ícone no Renascimento por sua criatividade multidisciplinar. A História do cristianismo também sempre me atraiu, e encontrar estes elementos unidos fica muito mais fácil no período do Renascimento, um pano de fundo de luxo para um romance."

Você resolveu publicar o livro logo que terminou de escrever ou ficou naquela "Publicar ou não publicar"
"Eu o publiquei primeiro de forma independente, sem grandes pretensões, sem pensar que um dia fosse publicado realmente de forma a chegar a livrarias. Mas ser convidado por Adriana Vargas para fazer parte do Clube dos Novos Autores abriu-me portas de forma rápida, e depois de alguns meses tive meus originais avaliados pelo editor da MODO, sendo considerados dignos de publicação. Ver meu livro em uma livraria, chegando ao alcance do povo é um sonho realizado."

Tem algum livro que tenha te marcado? Se tiver, qual foi o motivo?
"Sim, posso dizer que em minha adolescência “O Alquimista” me marcou muito. A partir de sua leitura passei a ver o mundo de forma mais espiritualizada, mágica."

Um autor (ou autores) favorito. 
"Posso falar de vários, pois leio muito. Mas com certeza Paulo Coelho, Conan Doyle, Shakespeare, Anne Rice são incríveis."

Uma frase que você não esquece de jeito nenhum. 
"Quando minha avó paterna faleceu, eu e meu pai voltávamos a pé do sepultamento, eram tempos difíceis para nós economicamente. Eu via nos olhos de meu pai além da tristeza certa frustação, e em um desabafo ele disse: “Sempre que achar que deve fazer algo, faça, não deixe ninguém lhe influenciar.” Algumas certezas são somente nossas, e devemos segui-las, sem pensar. Muitas das grandes personalidades de nossa História agiram assim."

Tem algum sonho ainda por realizar
"Tenho com certeza. Sempre sonhei em orgulhar minha família, coisa que “Carmela e Lorenzo” me proporcionaram com certeza. Conhecer a Europa seria o grande sonho realmente, principalmente a Itália, pois sou descendente de italianos. A vida é feita de sonhos, somos embalados por eles."

Você tem algum vicio? Benéfico claro rs. 
"Leitura e escrita são alguns deles. Cozinhar e comer são outros, como bom gaúcho churrasco e chimarrão são grandes paixões, assim como meu Estado, de cultura única e apaixonante. Posso falar que futebol também é um vicio, mas minha família e meus amigos são meus “melhores vícios” com certeza; estamos sempre juntos. Minha esposa e minhas filhas sempre me acompanham, e no lançamento de “Carmela e Lorenzo”, na I Odisseia Fantástica em Porto Alegre (que fica a 300 km de Pelotas), elas estarão comigo. Dos vícios ruins estou livre, não fumo nem bebo em nenhuma oportunidade. Todos encontros com nossos amigos são regados a muita cerveja, eu sou a “ovelha negra”, o único que fica no refrigerante. Acho importante controlarmos nossa consciência."


Alguns autores gostam de escrever escutando uma determinada musica, outros precisam apenas de silêncio ou de estar ao ar livre. Do que você precisa para escrever
"Para escrever preciso estar sozinho, mas não fico apenas escrevendo. Como bom geminiano, faço muitas coisas ao mesmo tempo, é de minha natureza a dificuldade de manter o foco em somente uma coisa. Escrevo, escuto musica, tomo chimarrão, viajo na internet, assisto filmes; mas acho que a solidão facilita a troca de lugares quando o autor deve se colocar no lugar da personagem, para expressar e sentir as emoções da escrita." 

Uma das minhas paixões são as capas. Qual foi sua reação ao ver a capa de Carmela e Lorenzo
"A capa de “Carmela e Lorenzo” é um trabalho incrível de André Siqueira, grande capista e artista, com certeza. Ficou exatamente como eu imaginava, pois as capas da publicação independente foram feitas por mim. André Siqueira “pegou” o espirito da trama, e fez um trabalho excepcional, que me emocionou quando ficou pronto." 

Você já pensa em outro livro ou no momento quer se dedicar a Carmela e Lorenzo
"Sim, como falei anteriormente, é difícil manter o foco em apenas uma coisa. Minha prioridade hoje é o lançamento de “Carmela e Lorenzo”, mas estou escrevendo um romance que se chama “Rika”, e reescrevendo alguns detalhes de “Conspiração”, meu primeiro livro, para colocá-lo em analise." (Preciso abrir parentese para comentar que li um trecho de Conspiração que o Rubens postou no facebook e amei. Espero que seja aprovado pois quero muito lê-lo)

Tem alguém que você queira de agradecer pelo apoio quando você decidiu ser autor
"A atividade de escrever é uma coisa que tenho como minha, mas as informações que eu colhia quando auxiliava minha esposa em suas pesquisas na universidade de alguma forma “aguçaram” minha vontade de escrever, assim como a leitura e os estudos incentivados por meus pais. Depois dos livros publicados, Adriana Vargas e o Clube dos Novos Autores são divisores de aguas em ser realmente um autor. Agradeço a estas pessoas de importância impar em minha vida literária. " 


A cada dia os autores nacionais ganham o espaço e o reconhecimento que merecem e somos presenteados com obras maravilhosas. Mas apesar disso não é fácil publicar um livro e muitos autores sentem uma certa insegurança na hora de procurar uma editora e muitas vezes acabam por não procurar. O que você tem a dizer para esses autores
"Encontrei dificuldades como todo mundo, as editoras grandes não abrem as portas, e editoras independentes de credibilidade duvidosa nos rondam no inicio, oferecendo coisas que não vão cumprir. O importante é acreditar no sonho, e dedicar-se. Em meus livros, dedico trabalho e pesquisa em busca de qualidade. O leitor quer entretenimento, viagem através de palavras, e escrever algo novo e atraente é o alvo a ser perseguido. Depois de escrever a obra, devemos procurar pessoas realmente envolvidas com literatura, que encontramos em blogs literários. Depois de entrar para o Clube dos Novos Autores, tive certeza que minha obra tinha qualidade, chegando a MODO, verdadeira parceira de novos autores.  Façam como disse meu pai: “Sempre que achar que deve fazer algo, faça, não deixe ninguém lhe influenciar”."

Espero que vocês tenham gostado da entrevista e queria agradecer ao Rubens por ter aceitado.Desejo muito sucesso, não só ao Rubens mais a todos os nossos autores. Beijos de La Fleur dy Lis.

















3 comentários:

  1. Agradeço por divulgar meu trabalho, e achei a entrevista incrível! Parabéns pelo blog!!!

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde,

    Não conhecia o autor e nem o livro, achei muito boa a entrevista e interessante o livro,boa dica, parabéns.

    Tem promo nova no blog, passa lá...abçs.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Bruna estou ansiosa para ler esse livro, adorei a sinopse e capa!

    ResponderExcluir