sexta-feira, 5 de abril de 2013

As Batalhas do Castelo de Domingos Pellegrini

Na Idade Media toda corte possua seu Bobo e em um reino, o Bobo agradou tanto ao rei, que quando o rei estava para morrer transformou o Bobo em Duque da Santa Graça. Logico que os herdeiros não gostaram disso e realizaram a vontade do pai de uma maneira que eles não saíssem prejudicados.
Tendo como reino um castelo abandonado no meio do nada, como ducado os órfãos, aleijados e presos, o Duque apelidado de Bobuque, transformou estranhos em família e construiu um lar onde nada era proibido a não ser  ter medo.

As Batalhas do Castelo é um livro infanto-juvenil que recomendo independente da sua idade. A leitura é rápida, agradável e traz uma lição de vida e tanto. Bobuque transforma o Castelo do Canto, que fica no meio do nada, sem ter muita terra  fértil, cheio de lagartos e sem um único móvel em um lar. Os órfãos, aleijados,presos,cavalos doentes e vacas magras em um ducado prospero e feliz. Todos travaram lutas contra fome,medo, cavaleiros,enfim, lutaram contra uma infinidade de coisas e continuaram felizes e dispostos a ajudar.
Há um trecho de que gosto muito:

"Ouvi uma voz - Bobuque disse de olhos fechados como se ainda ouvisse a voz - e ela me mandou dizer os 7 palpites da vida eterna.
O 1º palpite era que, nesta vida, só a morte é certa, além é claro, dos imprevistos e das descobertas.
O 2º palpite lembrava que o que passou, passou; ninguém pode adivinhar o futuro e assim a eternidade é hoje.
O 3º palpite receitava o perdão para curar o coração e para os males da alma receitava nenhuma ambição.
O 4º palpite dizia que ninguém é maior que o próprio tamanho,mas trabalho e vontade removem montanhas.
O 5º palpite ensinava que para trabalhar feliz só há um jeito : fazer com prazer e cada vez mais bem feito.
O 6º palpite garantia que para a aventura é preciso coragem, mas que mudar a si mesmo é a melhor viagem.
Finalmente o 7º palpite lembrava que a vida é mistério, a morte é segredo. E perguntava: Então para que tanto espanto? Para que ter medo? " (Pag. 35)

Espero que leiam e que gostem tanto quanto eu. Espero também que a resenha tenha agradado. Beijos de La Fleur dy Lis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário